Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto

Literatura Paranaense - Provocações Provocações

Teve alguém que disse: “Ou o poeta mata o soneto ou o soneto acaba com a poesia”. E não foi com tal radicalismo que se chegou ao bom poema de nossos dias. Vivem e convivem: quadras, sonetos, sextilhas, trovas, décimas, poesias livres e sem rimas, haicai... Só o féretro da antipoesia deve passar sem o acompanhamento de leitores. A arte é da vanguarda porque rompe o entrave de regimes e ideologias, e o Modernismo é um movimento de vanguarda, por excelência. Aos escritores, artistas e poetas cabe a responsabilidade de guiar os povos, restaurando valores, porque o entulho destrói a sociedade e, isto tem muita importância num mundo aético, de valores invertidos, espalhando e espelhando formas de anticultura. Já virou modismo representar a miséria e, dói-nos dizer, chegam a... (leia mais)

Carlos Zatti




DEUS EX-MACHINA

Gostaria de falar não dum recurso técnico de última hora, ou de mágica inexplicável do computador. Mas sim, de um “Deus que desce por meio de uma máquina”, amorfo, subentendido, perversamente escondido em todas as frases, sons e imagens da violência atual. Tenho me encontrado com um certo “DEUS EX-MACHINA” com freqüência, embora o tente repeli-lo, ele tem insurgido insistentemente em quase tudo que leio, assisto e vejo. É possível demonstrar sua presença atualmente em mais de 80% do que se escreve, filma ou televisiona. Fica difícil explicar à luz da lógica, esta capacidade milagrosa dos “mocinhos”, “heróis” atuais de escaparem ilesos das cenas violentas a que são submetidos. São “Imagens”, “Sons” e “Letras”, que surgem não sei donde;... (leia mais)

Gilmacedo




Default



   > Jurcimá da Penha Soares

  AUTOR  
 
Jurcimá da Penha Soares

Nasceu na cidade de Araguapaz-GO, próxima ao Rio Araguaia e cidade de Goiás, em 19 de janeiro de 1973. Desde criança gostava de escrever, inclusive crônicas, contos e fábulas. Aos 17 anos já escrevia sobre política, comportamento e espiritualidade. Tendo sido educado em berço protestante, na maioridade assumiu a fé católica, por encontrar mais espaço para expor suas idéias, uma vez que não conseguiria viver sem a mística de sua fé e crenças.

Desempenhou importantes papéis na política regional como coordenador de campanhas eleitorais. É militante de Direitos Humanos desde 1992 e atua como voluntário em causas sociais, principalmente com marginalizados. Desenvolve palestras sempre partindo do campo espiritual (independente de religião), conduzindo o público a reflexões sobre a própria realidade em que vive, relatando as várias experiências de sua vida, além de contos e outras histórias de coisas da vida.

É Formado em Filosofia e Teologia. Ainda não há nenhum de seus escritos publicados a nível nacional. Leciona Educação Religiosa e Espanhol numa Escola Pública. Num estilo de vida espiritualista tem um senso conciliador e diplomático. As vezes levado pela Utopia, espera que o Mundo seja melhor quando as pessoas forem melhores.