Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto

SEMEADURA

Avistando um aglomerado de mercadores, um andarilho gritou, decidido: - Atenção! Fechem o caminho; vou passar! Surpreso ao sentir um toque em seu ombro, voltou-se e deparou com a razão: - Por que agiste desta forma? Não sabes que é preciso caminho aberto para seguir adiante? O andarilho, sentando-se sob gigantesca árvore de multividências, dirigiu-se à razão, num repente: - Pedi que fechassem o caminho para que minha loucura não fugisse... A razão, mais confusa que convencida, argumentou sem hesitar: - Não há coerência no que dizes. Explica-te ou afasta-te de mim! Cruzando os braços sobre os joelhos, o andarilho insistiu: - Não desejei que minha loucura partisse, por não querer viver comprometido com tua existência mascarada... A razão, indignada, protestou sem mais... (leia mais)

Tânia Gabrielli-Pohlmann




“D” DE “DEUTSCHLAND”, POR QUE, ENTÃO, “ALEMANHA”???

Uma tradução de Tânia Gabrielli-Pohlmann “D” = “Deutschland”? Que coisa estranha! Quem fala português, diz “Alemanha”; em espanhol este país se chama “Alemaña”; aqueles que falam inglês, adotaram o termo “Germany” e quando se vai para o Leste Europeu, o “Schwabo” é que designa o cidadão alemão. Mas o que se vê nas placas de automóveis alemães é a letra “D” indicando “Deutschland”. Por quê? De onde vêm tantos termos diferentes para indicar um único país? A língua alemã e o povo alemão formaram-se, basicamente, através de diferentes grupos étnicos, tendo cada qual sua língua. A existência de registros escritos em língua alemã remonta ao Século VIII d.C.. A língua oficial era o latim, mas o povo se comunicava em seus... (leia mais)

Clemens Maria Pohlmann




Default



   > Sheila Ferreira Kuno

  AUTOR  
 
Sheila Ferreira Kuno
Sheila Ferreira Kuno, natural de Mogi das Cruzes-SP, trabalha como analista de sistema desde 1995. É mestre em Computação Aplicada pelo INPE. Lecionou na Universidade Braz Cubas (SP) no período de 1996 a 1999.  Participa das antologias: Palavras Sem Fronteiras 2, Histórias para você dormir 4 e Histórias para você dormir especial de Natal, editados pela Literarte em 2012. Também participa da Antologia Poética da ALAF (Academia de Letras e Artes de Fortaleza) e das seguintes coletâneas: “Beijos de Bicos” e Poesia Sem Gavetas, editados pela Pastelaria Studios Editora, de Portugal, todas publicadas em 2013. Escreve periodicamente para a revista Varal do Brasil.  Recebeu o TROFÉU DESTAQUE 2012 oferecido pela Academia Niteroiense de Belas Artes Letras e Ciências – ANBA. 

Autora do livro “Aprendendo a Viver” publicado pela editora Protexto em Março de 2013.