Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto

EMOÇÂO

Foi um dia de intensa emoção. Estava triste, sem saber o que fazer. Alguém aconselhou. “Quebra o bloqueio. Põe tudo que sente pra fora”. Depois do conselho, pensou. “Talvez escrevendo eu consiga. É isso. Ponho no papel. Assim não amolo ninguém”. Agora, sentada frente à máquina, não sabe como dar início. Como pôr pra fora o que sente? Não sabia... Passou a vida toda segurando suas emoções, só extravasadas em lágrimas, a única coisa que não sabia guardar. Uma simples vontade depois de um conselho. Conseguiria fazê-las saírem? Na verdade, não era uma simples vontade. Era uma profunda vontade. Pensou que talvez fosse mais feliz, mais liberta, se conseguisse algum dia, de alguma forma, “botar pra fora”, nem que fosse um pouquinho só, toda aquela emoção... (leia mais)

Isis Berlinck Renault




Vida vazia, vida marota!

Dr. Agildo caminhou vagarosamente até a enorme varanda. Saboreava os momentos do entardecer, um a um, como rotina para receber a noite implacável e então, recolher-se para o descanso. Desta vez, contudo, sentia-se diferente. Seus pensamentos esvoaçavam de um canto para outro da memória, contrariando seus comandos, inquietando seu espírito. Sentou-se na velha cadeira, admirando o extenso jardim. Os canteiros, emoldurando as divisas com suas cores imprevisíveis, tentavam suavizar seus sobressaltos. O ipê majestoso, que ele próprio plantara há tantos incontáveis anos, mantinha-se incólume a seus pensamentos. Parou seus olhos no aparente desordenado trabalho da velha árvore, largando o amarelo de pétalas a se desprenderem a cada instante, formando verdadeira alcativa.... (leia mais)

Airo Zamoner




Default



   > José Daniel Deodoro

  AUTOR  
 
José Daniel Deodoro
JOSÉ DANIEL DEODORO nasceu em dezoito de junho de 1965 em Guaratuba, no Paraná em um sítio chamado Cabeceira do Rio Preto.

Começou a aprender a ler e escrever aos onze anos de idade. Morou em um colégio interno por cinco anos, onde, em um concurso de redação, obteve o segundo lugar, em nível estadual. Ficou em segundo lugar porque uma pessoa que cursava o terceiro ano do antigo curso Científico foi quem redigiu para o vencedor. Somente depois de quatro meses é que veio a saber deste fato. Não ficou triste, pois achava que nem conseguiria a classificação. A colocação em segundo lugar foi uma grande e agradável surpresa. Foi nômade por 21 anos. Depois de completar a maioridade em suas andanças, fixou residência em sua terra natal. Seu primeiro emprego foi de garçom. Trabalhou em escritórios. Foi parar nos garimpos, mergulhou muito para extrair ouro e diamantes. Extraiu muito, mas nunca acumulou. Fala sempre que suas três pepitas ou suas três gemas são: sua esposa, um filho e uma filha. Escreveu três livros: Canela de Boi, A Caçada do Tatu, Eu e o Velho. Outros três estão em andamento. Gosta muito de ler e escrever, quer e vai fazer dos livros sua fonte de renda. Atualmente,trabalha em um supermercado para custear as despesas pessoais. Intitula-se como autor das famílias. Quer que todos os membros das famílias leiam suas obras, desde o menor, o mais novo, até o maior e mais velho. É um grande incentivador da leitura. Se soubesse que ler era tão bom, que desenvolve a mente humana, teria lido mais, muito mais. Teria começado mais cedo.