Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto

SEMEADURA

Avistando um aglomerado de mercadores, um andarilho gritou, decidido: - Atenção! Fechem o caminho; vou passar! Surpreso ao sentir um toque em seu ombro, voltou-se e deparou com a razão: - Por que agiste desta forma? Não sabes que é preciso caminho aberto para seguir adiante? O andarilho, sentando-se sob gigantesca árvore de multividências, dirigiu-se à razão, num repente: - Pedi que fechassem o caminho para que minha loucura não fugisse... A razão, mais confusa que convencida, argumentou sem hesitar: - Não há coerência no que dizes. Explica-te ou afasta-te de mim! Cruzando os braços sobre os joelhos, o andarilho insistiu: - Não desejei que minha loucura partisse, por não querer viver comprometido com tua existência mascarada... A razão, indignada, protestou sem mais... (leia mais)

Tânia Gabrielli-Pohlmann




MINHA PRIMEIRA COMUNHÃO

Tinha quase nove anos. Fui criada na religião católica. Meus pais eram muito religiosos. Quando se aproximava o Natal, eles promoviam lá em casa uma novena. Além da família, os vizinhos também participavam. Após a novena, eu me sentava ao piano e tocava várias músicas sacras, inclusive a Ave Maria de Schubert. Todos me aplaudiam, dizendo que eu executava com técnica e sentimento as partituras. Quando completei meus nove anos, minha mãe me informou que a Diretora da minha escola, Da. Neide Arruda Leal, desejava que seus alunos da terceira série fizessem a preparação para a primeira Comunhão com as catequistas da Igreja... (leia mais)

IVETE FLORES CATTA PRETA RAMOS




Default



   > Jucélio João Teixeira

  AUTOR  
 
Jucélio João Teixeira

Jucélio Teixeira, deficiente visual, é casado, tem filhos maravilhosos, presentes de DEUS, como costuma afirmar. Aos dezenove anos, foi aprovado em concurso para a polícia militar do Estado de Santa Catarina. Depois de seis anos de trabalho, foi aposentado por invalidez por causa de uma doença degenerativa da retina chamada Ritinose Pigmentar. Passaram-se alguns meses e, em função de fatos que aconteceram, percebeu porque DEUS havia limitado sua visão física. Diante dos acontecimentos variados, cujas explicações não encontrava, foi buscar aprendizado em vários lugares sobre as vozes que ouvia. Em um dia de janeiro de 1991, teve a resposta que buscava. Em meio a uma luz natural, uma voz falou na madrugada, por volta das duas horas:- Não se assuste! Em um futuro próximo, depois de alguns aprendizados, você irá receber um trabalho que preencherá seus dias e ajudará no esclarecimento de muitas pessoas. Acordou no dia seguinte com a lembrança nítida do "sonho" e esta lembrança o acompanhou por dias seguidos. Certo dia, sentado à frente de seu computador, descobriu porque recebera aquela mensagem em forma de sonho: escreveria um livro e neste, contaria suas experiências com o além, mas não sabia como começar. Acordou, ainda sentado em frente ao seu computador, sentiu-se "acordar" depois de algumas horas escrevendo algo que de momento parecia-lhe muito estranho. Dali para frente, nas horas hoje determinadas por ele próprio, realiza os mesmos atos. Como escritor, também se tornou leitor dessas obras, pois entende que só toma conhecimento do seu conteúdo após o término do dia de trabalho. As histórias em forma de livro vão surgindo. O primeiro é este com o título PASSAGEM. Depois veio AVISOS EM SINAIS e, em seguida, APRENDENDO COM A FUGA, todos prontos para a publicação. Hoje escreve mais alguns que também serão lançados na continuação. Aqui conta a história de vida de um dos muitos Josés, ditado pelo espírito de JOSÉ PAZ.