Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (641)  
  Contos (942)  
  Crônicas (726)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (217)  
  Pensamentos (651)  
  Poesias (2532)  
  Resenhas (131)  

 
 
Minha Linda Normalista
Ingrid Regina...
R$ 50,30
(A Vista)
INDISPONÍVEL

Dança de Salão, a...
Maristela Zamoner
R$ 36,60
(A Vista)






   > Não prometa no amor



Maicon da Silva Carlos
      CRôNICAS

Não prometa no amor

Talvez dos erros cometidos no amor, o maior de todos é não cumprir o prometido.  Nunca faça promessas quando começar um relacionamento. Prometa aquilo que nem se deve prometer, pois é o óbvio... Como a fidelidade, lealdade... Coisas que são inerentes, mas que às vezes fica na inércia em um relacionamento, que por causa disso tem um fim, merecido, muitas vezes, um fim.

Prometer amor eterno é um erro grave, nunca se sabe até quando se vai amar, prometer demonstração de amor é outra coisa. Você pode agir como se amasse, mas vai sofrer. Nunca prometa amar pra toda vida. O amor é um desconhecido que mora em nós, como prometer em nome dele? Prometer amor pra toda vida e não conseguir cumprir é como uma traição pra outra pessoa, e uma derrota pra si. Quem nunca foi cobrado por não amar como prometeu? Por não estar junto quando tinha prometido nunca mais deixar? Quem prometeu e conseguiu cumprir?

Prometa ser presente enquanto amar. Prometa fazer feliz quem se tem, enquanto os dois se têm. Prometa levar rosas, mesmo depois de tantos anos juntos. Prometa continuar sendo gentil, se você for um cara gentil, é lógico. Se não for, prometa tentar ser gentil... Prometer tentar é a melhor coisa que se pode fazer... Se for cobrado você diz que prometeu tentar, tentou, mas não conseguiu... Prometa o que você sabe que está ao seu alcance... Nunca prometa sentimentos, da mesma forma que eles vêm, eles vão, e você pode se sentir um fracassado por não poder cumprir com sua promessa.


CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui