Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (641)  
  Contos (940)  
  Crônicas (724)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (207)  
  Pensamentos (651)  
  Poesias (2527)  
  Resenhas (129)  

 
 
Paisagens-01-012
Airo Zamoner
R$ 104,00
(A Vista)



Conquistas,apenas uma...
Itiel Monteiro de...
R$ 26,80
(A Vista)






   > Nó na garganta



Eulália Cristina Costa e Costa
      POESIAS

Nó na garganta

Quero gritar com uma força e voz tamanha.

Fazer ser ouvido o que hoje está preso em minha garganta,

Preso como um nó entre tantos outros nós (pessoas). 

 

Fazer despertar aqueles que eu tanto quero amar

E deixar registrado o que quero lhes falar. 

 

O nó na garganta já não vou mais suportar,

Precisam ser desatados com uma rapidez veloz

Antes que acabem com a minha voz. 

 

Nó na garganta,

Um dia ele não mais existirá,

Pois minha voz se calará.

O desejo morrerá e o amor, talvez, não resistirá à morte

E  ao esquecimento nem mesmo com o passar do tempo.

 

Poesia selecionada na seletiva da Câmara Brasileira de Jovens Escritores que será lançada na Antologia Os mais belos poemas de amor em Maio/2010.



CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui