Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (641)  
  Contos (940)  
  Crônicas (724)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (207)  
  Pensamentos (651)  
  Poesias (2525)  
  Resenhas (129)  

 
 
Objetos-02-126
Airo Zamoner
R$ 104,00
(A Vista)



Elisa pede passagem
Ingrid Regina...
R$ 39,70
(A Vista)






   > CONVERSA ENTRE MINISTROS



Airo Zamoner
      CRôNICAS

CONVERSA ENTRE MINISTROS

– Não tenho palavras...
– Isto acontece. Não se preocupe...
– Agradeço sua.... sua... sua...
– Não precisa agradecer!
– Como, não precisa?
– Não se incomode em procurar palavras.
– Mas quero agradecer...
– Já que insiste...
– ...
– E então? Estou esperando...
– É! Realmente não tenho palavras...
– Isto acontece. Não se preocupe...
– Agradeço sua compreensão.
– Já disse que não precisa!
– Claro que precisa. Não sou mal educado...
– Você está sem palavras, lembra? Como vai agradecer?
– Mas insisto em agradecer...
– Tudo bem. Considero-me agradecido.
– Isto é muito pouco...
– Não me oponho. Se quer mais, eu aguardo seu agradecimento com toda a paciência. Agora que sou ministro, tenho tempo...
– ...
– Estou esperando...
– É que...
– Já sei! Continua sem palavras...
– Isto mesmo!
– Não esquente! Ficar sem palavras para agradecer já é um grande agradecimento.
– Gentileza sua! Isto não me conforta. Preciso agradecer de verdade. Com palavras significativas.
– Você está melhorando. Já saíram algumas palavras. Mas tenho tempo. Posso esperar um pouco. Posso esperar bastante. Só o povo talvez não tenha tanto tempo...
– ...
– Acho que não adianta. Você está mesmo sem palavras.
– Que faremos? Preciso de palavras pra agradecer e também pra fazer algum plano pro país...
– Calma! Por que temos que fazer alguma coisa?
– Porque assumimos o poder e o povo espera...
– Tenho uma sugestão...
– Resolve o problema das palavras?
– Acho que sim...
– Ótimo! Qual é?
– Mudemos de assunto.
– Boa idéia! Qual é o assunto?
– O assunto? Que assunto?


CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui