Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (586)  
  Contos (858)  
  Crônicas (702)  
  Ensaios (138)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (176)  
  Pensamentos (518)  
  Poesias (2364)  
  Resenhas (119)  

 
 
Ensinando Geografia...
RICARDO LOPES FONSECA
R$ 42,00
(A Vista)



A Mente Sã
Fabrício Behine
R$ 47,00
(A Vista)






   > Projeto de dança para crianças na escola



Mary Santana
      INFANTIL

Projeto de dança para crianças na escola

                 

Mary Santana       Linguagem Corporal        CURITIBA2009  

1 Introdução

 

Partindo da premissa de que a criança necessita de comunicar-se e expressar-se, esse projeto visa trabalhar com a linguagem corporal utilizando diferentes atividades com o corpo, relacionadas também com a literatura e com jogos e brincadeiras retificados englobando-os na dança.

 

2 Justificativa

 

A dança na escola pública é de muita importância para desenvolver nas crianças a criatividade, a percepção corporal mesmo que de forma simples. A musicalidade que na dança vai além do ritmo, é um buscar da compreensão relacionando-se com a melodia transmitida com as vozes, com os instrumentos, com as variações de intensidade, conseguindo transmitir por meios de movimentos dançantes todo sentimento que a música pode provocar ou pede. Trabalhando-se também a criatividade na forma de expressão corporal onde o aluno cria diferentes movimentos através de estímulos musicais e com a improvisação dirigida e espontânea. Sendo a dança com vínculo educativo dentro da instituição; será direcionado um trabalho com a literatura de forma prazerosa, onde cada criança poderá escolher o que gosta para junto com a professora poder transmiti-la em forma de linguagem corporal.

  

3 Objetivos

 3.1 Objetivo geral 

Trabalhar com a dança visando como eixo principal o desenvolvimento da linguagem corporal nos alunos através das atividades aplicadas e da apresentação de uma coreografia.

 3.2 Objetivos Específicos ·        Trabalhar com a improvisação dirigida e espontânea;·        Vincular jogos retificados com a dança numa transformação contínua e prazerosa, visando trabalhar o corpo em diferentes movimentos, através do lúdico;·        Incluir algumas brincadeiras para trabalhar diferentes direções, níveis, deslocamento e criatividade aproveitando para transformar os movimentos das brincadeiras em dança;·        Direcionar a literatura com a linguagem corporal trabalhando elementos como: tristeza, alegria, medo entre outros enfatizando a conexão do teatro e dança num só corpo. 

4 Conteúdos

 ·        atividades locomotoras e não locomotoras;·        atividades rítmicas;·        expressão facial e corporal;·        musicalidade e estudo da música de trabalho coreográfico;·        postura, transferência de peso, equilíbrio em diferentes atividades;·        expressão corporal-espaço(níveis);·        atividades locomotoras: flexibilidade;·        movimentos locomotores:percepção auditiva-ritmo;·        literatura e poesia vinculada com a dança;·        jogos e brincadeiras retificados,( transformados em dança);·        processo coreográfico.  

5 Metodologia

 5.1 Caracterização da Pesquisa

Qualitativa – pesquisa de campo e bibliográfica: a pesquisa de campo

 5.2 Amostragem

A pesquisa será realizada com doze alunos de ambos os sexos de uma turma específica. A faixa etária destes alunos é de sete a nove anos aproximadamente: os mesmos são estudantes dos 2º e 3º anos, estudando no período da manhã.

 5.3 Local

Este projeto será aplicado na Unidade de Educação Integral da Escola Augusta Glück Ribas do município de Curitiba.

 5.4 Coleta de Dados

Para a coleta de dados serão utilizados filmagens, fotos e relatórios de observação. A aplicação se dará da seguinte maneira:

·        As aulas serão realizadas duas vezes por semana, com 01h00min cada uma;

·        Todas as aulas seguiram uma organização partindo de uma explicação sobre o que será trabalhado, aquecimento, parte principal 1 e 2 e finalização;

·        Os alunos terão aulas teóricas e de apreciação com vídeos e filmes sobre a dança e das próprias filmagens deles, que poderão acontecer antes ou depois da aula prática;

·        No trabalho de apreciação com os alunos terá o objetivo de conhecer outras danças, ritmos, suas diferenças, sendo analisadas também o comportamento de algumas personagens, dificuldades, erros, acertos, união e força de vontade para alcançar o sonho almejado;

·        Os alunos terão aulas teóricas vinculadas com a prática onde será explicado o que é preciso para uma apresentação vir a acontecer com sucesso, é preciso um tema, saber que intensão se quer passar para o público (alegria, tristeza ou um tema que apareça ambos os sentimentos)

·        Trabalhar com os alunos o tema tristeza e alegria em aulas separadas utilizando e ensinando movimentos que representam a tristeza e a alegria. Treinando em diferentes momentos;

·        Ensinar e incentivar os alunos a trabalharem com a improvisação espontânea e dirigida, depois de um tempo de trabalho, propor que transmitam elementos de alegria e, ou tristeza em suas improvisações, utilizando seus próprios sentimentos;

·        Realizar em aulas separadas momentos para a musicalidade procurando escutar a música prestando atenção nos sons, na melodia, nos instrumentos;

·        Vincular esse trabalho com a improvisação, ora realizando movimentos somente na voz, na parte instrumental ou mesmo nas frases musicais;

·        Trabalhar com eles a literatura com o objetivo de transformar a história em dança, os alunos poderão escolher uma história que gostem ler em silêncio, em outro momento, relatar sobre a mesma para a turma;

·        Em outra aula retomar a leitura, agora dinâmica e explicar conversando de que forma poderão representá-la em linguagem corporal; dar exemplo prático para os alunos (a professora também lerá uma história e a apresentará aos alunos);

·        O mesmo acontecerá com a poesia, cada aluno terá tempo para treinar e em seguida apresentará para os colegas, após apresentação será feito uma breve avaliação sobre o desempenho de cada um.

 5.5 Organização e Análise

Os dados serão organizados e analisados processualmente de forma contínua no decorrer da aplicação do projeto por meio dos relatórios, das fotos e das filmagens.

 

6 Revisão de Literatura

 6.1 Trabalho criativo - Improvisação 

A improvisação envolve aspectos muito íntimos de quem dança trabalhando com seu emocional, sua intimidade, seu eu interior como também aspectos externos do qual está inserido. Quando se fala de improvisação a tendência é pensar numa forma livre de música, teatro ou dança, mas ela vai além, sendo ela uma arte que dá a oportunidade do bailarino se expressar, criar seus próprios movimentos transformando-os em dança.

Sendo a improvisação conhecida como a chave mestra da criatividade, o professor pode explorar bem diferentes conteúdos com o objetivo de trabalhar nos alunos a consciência corporal e também a musicalidade, intenção, expressão, pois de acordo com SHERBON (1965) a improvisação além de atuar como momentos de "criação” livre e espontânea, ele ressalta a importância do direcionamento do trabalho que é dado pelo professor, deixando claro que a liberdade de exploração e criatividade não significa que o aluno fique solto para fazer o que desejar; a improvisação espontânea, deve sim, estar relacionada ao tema que está sendo trabalhado.

Quando o nosso aluno está atuando com o trabalho de improvisar de forma espontânea, nada o impede de utilizar técnicas já aprendidas. De acordo NACHMANOVITCH (1993, p.22-23) Cada pessoa ao entrar no processo de criação espontânea traz consigo informações do seu ser mais profundo; podendo assim afirmar o que se tem para expressar já existe    em cada um de nossos alunos no qual estamos ensinando, ou seja; já está inserido em cada um de nossos alunos, portanto é possível falar com certeza que trabalhar a criatividade é entrar em uma particularidade de cada ser, sendo uma questão de fazer desbloquear os obstáculos que impedem o seu fluxo natural.

 6.2 O Lúdico e a Dança 

Ao trabalhar com a dança é importante à variedade de meios capazes de ampliar nossas possibilidades de expressão, essa variedade está inserida na prática de trabalhar a dança de forma prazerosa com o divertimento. Através da dança, da brincadeira, ou seja, da diversão os alunos podem experimentar todos os tipos de combinações e permutas de formas corporais, sociais de pensamentos. De regras que tornariam muito mais difícil se fossem regidos apenas por valores imediatos de sobrevivência ou mesmo com rigidez e autoritarismo.

Brincar é muito importante na vida de todo ser humano, principalmente na vida de nossos alunos, pois ela desenvolve a imaginação, a própria criatividade e a socialização. A brincadeira vinculada coma dança faz a o aluno descobrir a alegria através da exploração do seu próprio corpo com qualidade de movimentos que se transformarão em dança. De acordo com estudos, no universo da criança a experiência de movimento tem o papel de definir seu caráter e sua personalidade. Essa experiência de corpo e movimento na brincadeira vinculada com a dança está presente nas crianças, através de cada gesto.

Ao brincar a criança liberta-se de restrições arbitrárias e expande o próprio campo de ação. A dança vinculada com o lúdico possibilita uma maior riqueza de reações e melhora a capacidade de relacionamento e adaptação. A dança de forma prazerosa torna o aluno mais flexível. SANTANA (2007.p.44).

 6.3 A dança, o poema e a literatura 

Trabalhando a dança e teatro num só corpo é muito rico o trabalho com o poema e a literatura com interpretação na linguagem corporal. A poesia pode ser trabalhada não apenas nas aulas de dança, mas sim na língua portuguesa, na história, geografia, como por exemplo, Rosa de Hiroxima, vai depender do objetivo do professor. Ela pode ser explorada bem na linguagem oral e escrita para depois transformada na linguagem corporal, ou diretamente na linguagem corporal.

A dança está fortemente ligada ao contexto cultural, social e educacional por isso a literatura pode ser vinculada com a dança de forma prazerosa e dinâmica onde nela pode-se trabalhar diferentes aspectos tanto no setor emocional, como no social, cultural e pela prática da dança será possível os alunos perceber de forma positiva as diferenças entre os contextos e as características físicas e psíquicas existentes nos personagens e neles mesmos, pois estas características refletem diretamente no modo de ser agir, sentir, pensar, andar , comer, vestir, e demais atitudes presentes nos seres humanos.

Os estudiosos Brandão e Micheletti (1998, p.26 apud Bernardo, 2003, p. 9) afirmam que a arte possibilita a assimilação de conhecimentos e, a transformação e adaptação dos mesmos no que se refere a vida social e pessoal. Portanto a literatura nas aulas de dança vem a favorecer um olhar muito rico com a linguagem corporal e também trabalha com a criatividade dos alunos,pois a literatura permite o aluno viajar com sua imaginação, descobrir, buscar o conhecimento.

 6.3.1 Dança

Neste trabalho com a dança é importante ser trabalhado: a variedade, equilíbrio; contraste; seqüência; repetição; harmonia; direção; espaço. Lembrando que o espaço possui volume e densidade e é nele que acontece a ação.

 6.3.2 Níveis, tempo.

Ao trabalhar com o processo coreográfico é importante:

·        Conteúdo-interesse central, proposta de trabalho, objetivo;·        Forma-figura, a seqüência de movimentos, a organização da ação;·        Técnica-valiosa como instrumento na comunicação do significado e construção da forma;·        Projeção-interpretação pelo (s) alunos, bailarinos (s)·        Elementos a serem trabalhados na composição das seqüências de movimentos:·        Espaço-geral e pessoal; direções; níveis, planos, dimensões, desenhos espaciais, formas, simetria, assimetria.·        Tempo-velocidade, duração, aceleração, desaceleração.·        Ritmo-andamento, acentuação, duração, intensidade, repetição, pulso, pausa.·        Energia-fluência, força, peso.

7 Recursos

 7.1 Recursos Materiais ·        Rádio,·        DVDs,·        CDs,·        Balões,·        Bambolês,·        Filmadora;·        Tapetes coloridos de EVA. 7.2 Recursos Visuais ·        Vídeos,·        Fotografias,·        Desenhos,·        Filmagens. 

8 Avaliação

 ·        Contínua (no desempenho durante as aulas)·        Pelas filmagens·        Relatório de observações.  

9 Referências bibliográficas

 NACHMANOVICK, Etephen Ser criativo - o poder da improvisação na vida e na arte. São Paulo: Summus, 1993.SALFER, Jaques  A expressão corporal: uma disciplina da comunicação. São Paulo, 1982.SANTANA, Eurides Maria de A Criança e a Dança de Salão. Curitiba: protexto, 2007    

CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui