Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (641)  
  Contos (940)  
  Crônicas (724)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (207)  
  Pensamentos (651)  
  Poesias (2525)  
  Resenhas (129)  

 
 
Depressão na...
Josiane Rosa Campos
R$ 31,70
(A Vista)



Os Egmons
Airo Zamoner
R$ 40,40
(A Vista)






   > Um Estudo de Caso Consórcio Intermunicipal de Resíduos Sólidos Domiciliares, uma abordagem sobre o Litoral Sul de Pernanbuco.



Deborah Trevisani dos Reis
      ARTIGOS

Um Estudo de Caso Consórcio Intermunicipal de Resíduos Sólidos Domiciliares, uma abordagem sobre o Litoral Sul de Pernanbuco.

O Lixão ou vazadouro de Tamandaré lança de forma desordenada os resíduos sólidos domiciliares, sem cobertura e compactação diária, com grande volume de percolado sem nenhum tratamento adequado. Desta forma, existe o perigo de deslizamento de terras, que na ocorrência de precipitação intensa acaba sendo intensificado.

A ausência da coleta seletiva diminui a vida útil do lixão ou vazadouro a céu aberto e aterro sanitário. Este quadro propicia a contaminação do solo, do ar, das águas superficiais e subterrâneas ou lençóis freáticos. Além disso, a ausência da coleta seletiva é um importante fator de risco para a saúde pública, e contribui para a descaracterização da paisagem natural.

            A cobertura e compactação diária, com camadas de recobrimento de maior espessura, permitem maior impermeabilização e menor infiltração da água da chuva na massa de resíduos. A cobertura e compactação das células do aterro sanitário, a cargo da Prefeitura de Rio Formoso, no entanto, é realizada apenas esporadicamente. A cobertura esporádica das células tem função de impermeabilização e permite infiltração da água da chuva na massa de resíduo e conseqüente maior volume de percolado.

            O Sistema de drenagem de efluentes líquidos, chorume, possui uma rede de valas sub-superficiais, preenchidas com material drenante e dispostas de forma difusa em toda a base do aterro, inclusive ao longo dos seus taludes intermediários, no entanto, não está em operação.

            A ausência do monitoramento ambiental da estação de tratamento de chorume causa um grave problema, que provoca danos e causa poluição na área geográfica onde se localiza. Este foi um problema evidenciado na região, mas que promete ser solucionado, através do monitoramento proporcionado pela Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP).

            A Usina de Triagem e Compostagem de Sirinhaém operam em condições precárias, devido ao acúmulo de rejeitos e a demora da remoção desse material, realizado pela Prefeitura do Aterro Sanitário de Rio Formoso. Somente após a intervenção do Ministério Público, a freqüência de remoção de rejeitos foi padronizada em dias alternados.

            A situação atual da área do Lixão ou Vazadouro de Tamandaré é crítica, devido às condições inadequadas da área, o mesmo deverá ser desativado através de intervenções que permitam o correto encerramento de suas operações e a recuperação física da área degradada. Para tanto, é necessário a elaboração de um diagnóstico sócio-ambiental de sua área de influência.

            Observa-se que o aterro sanitário de Rio Formoso, inaugurado no início de 2006, opera inadequadamente na maior parte do tempo.

            A Usina de Triagem de Rio Formoso está desativada e os passivos ambientais das suas atividades devem ser removidos do local.

            Conclui-se que apesar das dificuldades enfrentadas, os municípios do consórcio intermunicipal já deram um grande passo no processo de implantação e operação das usinas de triagem e compostagem e do aterro sanitário. Contudo, as autoridades municipais mais do que nunca, precisam se unir para não retrocederem em relação ao processo já iniciado e melhorar as condições ambientais e sanitárias das instalações.


Bibliografia

D’ALMEIDA, M.Luiza; VILHENA, André. Lixo Municipal: Manual de Gerenciamento Integrado. 2 .ed. São Paulo: IPT/CEMPRE. 2000, p.86-88, 111, 149-153, 204, 370.

JBR Engenharia, Apostila Capacitação para Gestores e Operadores das Unidades de Triagem e Compostagem, Beneficiamento de Plástico Filme e Aterro Sanitário do Consórcio Intermunicipal de Desenvolvimento Portal Mata para Tratamento e Destinação Final de Resíduos Sólidos. 2005. Módulos II, III, IV, VIII. Recife-PE. p.128-137,142.

MONTEIRO Teófilo Carlos do Nascimento. Gestão integrada de resíduos sólidos municipais e impactos ambientais. Módulo III. Gestão de Aterro Sanitário. Rio de Janeiro- RJ: FIOCRUZ, RJ 2001, p. 17, 25, 37, 44, 61.

SISINO, C.L.S. & OLIVEIRA, R.M. (orgs), 2000. Resíduos Sólidos, Ambiente e Saúde: Uma visão Multidisciplinar. Rio de Janeiro-RJ: Editora Fiocruz.p.20, 39, 42.



CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui