Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (641)  
  Contos (940)  
  Crônicas (724)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (207)  
  Pensamentos (651)  
  Poesias (2525)  
  Resenhas (129)  

 
 
Veículos-02-201
Airo Zamoner
R$ 104,00
(A Vista)



Diário de Um Pensador...
Dudu Souza (Cleomacio...
R$ 22,10
(A Vista)






   > Foi tudo, menos amor.



Gabriela M
      PENSAMENTOS

Foi tudo, menos amor.

         "O silêncio aumenta. O frio acompanha o mesmo ritmo. Tanto lá fora como aqui dentro. Os corações não batem simultaneamente, não há mais melodia, não é mais harmônico. Como se desligassem os botões que nos conectavam, e só ficassemos ali, existindo. O dia lá fora sorria, mas aqui ainda havia resquícios da tempestade anterior.  Era forte, ardia, feria, misturava a vontade de arrancar com tudo isso de dentro de mim com a lembrança dos momentos bons, felizes. Mas a verdade que o que pulsou aqui por você, nunca pulsou do seu lado por mim. Talvez isso tenha sido fatal a tudo que eu sentia. 

         Ou essencial. Certas coisas servem para serem deixadas no passado, para criarem recomeços, e desculpem-me o egoísmo, mas há pessoas que servem de degrau para as coisas melhores que virão em nossa vida. Esse choque de realidade me corroeu. Era como se me sentisse suja por pensar assim, mas eu só comecei a enxergar a verdade. Esta me deu um tapa tão grande, que foi capaz de destruir minhas fantasias e teorias de felicidade, foi capaz de acabar até com coisas que eu julgava serem essenciais, e simplesmente não eram.
 
         Foi então que percebi que não interessa o que qualquer pessoa diga, se eu não acreditar em mim mesma, nunca haverá solução para os meus problemas. E certas atitudes não me condenam fraca, me comprovam humana. Parei de colocar a culpa dos erros do mundo em cima de mim. 

         Eu aprendi que algumas coisas não voltam a serem como eram antes, e que há pessoas que não merecem a minha preocupação. Mas eu tive que aprender isso da pior maneira, e foi com ela que percebi que talvez não fosse amor, talvez fosse uma sensação boa, uma vontade de estar perto, ou era um amor sufocado, que quando se aliviou, passou, sumiu. Ou quem sabe ficou guardado em algum canto aqui dentro. Não vou procurá-lo, ele que volte à tona sozinho, quando bem achar necessário. Não há necessidade agora. O objetivo é colocar as coisas em ordem. Encontrar meu lugar no mundo, encaixar minha vida, exatamente como tem que ser. O resto a gente arruma um tempo depois. Um amor não correspondido aqui, uma decepção ali, algo que não deveria ter passado da amizade acolá, e vamos indo. Vida que segue, nos dois sentidos."

Mais textos em: facebook.com/externalizar 


 



CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui