Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (641)  
  Contos (940)  
  Crônicas (724)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (217)  
  Pensamentos (651)  
  Poesias (2528)  
  Resenhas (129)  

 
 
O SEGREDO DA PEDRA AZUL...
JORGE ANDERSON SILVA
R$ 56,10
(A Vista)



R$ 55,70
(A Vista)






   > O poeta das curvas



Amarilia Teixeira Couto
      POESIAS

O poeta das curvas

A vida é um minuto.Mas a gente pode dar uma certa grandeza a ela,andando de mãos dadas,ajudando os pequeninos.” Oscar Niemeyer
 
 
O poeta das curvas
Que marcou tantos olhares
E corações
Teve uma vida longa
Onde a coerência
Foi fiel companheira
Stalinista convicto
Comunista atuante
Socialista na melhor acepção
Da palavra
Projetou sonhos
Arquitetou planos
Driblou desenganos
E nunca foi de direita
 
Enquanto tantos se perderam
no caminho
E deixaram a política de lado
Niemeyer
Não traiu os seus princípios
Nem se lançou ao precipício
Da dúvida
Nunca ficou por cima do muro
Nunca endureceu o pensamento
E deixou de ver
De seu povo o sofrimento
 
Dizer-se apolítico?
Jamais!
Votou em todas as eleições
Confiou em  Lula e Dilma
Quis para o seu país
O sonho dos poetas
As utopias
De quem engendra
As revoluções
E faz do seu aqui-agora
Uma militância sem fim
 
Afinal quem mais
Ousou  colocar no
Concreto
As curvas da mulher?
Quem se atreveu
A transpor as montanhas
Para a paisagem urbana
Seja em Minas
Rio
Brasília
E em tantos outros lugares?
 
 
As sinuosidades
A delicadeza
A leveza
Pura obra de arte
Para quem quiser ver
E guardar nas retinas
O que o poeta magistral
Quis revelar ao mundo:
“A vida é um minuto,
Mas a gente pode dar
certa grandeza a ela,
Andando de mãos dadas,
Ajudando os pequeninos.”
 
 
Agora ,Oscar,
Brinque não céu com os anjos,
Faça castelos com as estrelas,
E uma linda passarela pra chegar
À Lua cheia
E de lá mande bênçãos pra Terra
Que na ausência de seu talento
ficará ainda mais órfã
E carente de amor.
 


CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui