Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (641)  
  Contos (940)  
  Crônicas (724)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (217)  
  Pensamentos (651)  
  Poesias (2528)  
  Resenhas (129)  

 
 
Geométricas-03-217
Airo Zamoner
R$ 104,00
(A Vista)



Memórias do Velho...
Heráclito Júlio...
R$ 37,70
(A Vista)






   > Me veio assim...



Amarilia Teixeira Couto
      POESIAS

Me veio assim...

O frescor da primavera
Me chegou hoje pela manhã
Me veio com a doçura esperada
Depois dos dias esquisitos de agosto
Depois de algumas rusgas
Em tom de ventos fortes e calorões

Como é de praxe
as coisas amenas
belas
ternas
E eternas
acontecem
Assim ao acaso

Me veio farfalhando
Sua asas de borboleta
Me sussurrando aos ouvidos
De forma um pouco atrevida:
Sofre por amor, não!
Amor é dádiva,esqueceste?
Ele chega pra ficar
E tirar do coração as peias
Pra te despertar
No sangue as veias
E te fazer sonhar
Sem ser tola.

Ele se foi?
Faz de tua saudade
Um prato saboroso
Escolha os sabores
As texturas
As especiarias
Mas não te olvides
que o melhor está em ti

Tuas amarras já se romperam
Não te lembras?
Tua leveza te conduzirá
A outro porto
Certamente
E de novo
Sentirás o canto da cotovia
Que    somente quem ama
pode ouvir
E
Entenderás então
Que o amor que habita
O teu coração
É    teu guardião
Definitivo
É o teu antídoto da solidão

Ah essa conexão com a natureza
Que me faz ver e ouvir
O interdito
O invisível
E que me traz de volta
A minha paz
Quando as lágrimas
Já queriam
Explodir em estrelas no meu rosto

Mas é primavera
E o meu sorriso
Voltou pra ficar

 



CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui