Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (641)  
  Contos (940)  
  Crônicas (724)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (217)  
  Pensamentos (651)  
  Poesias (2528)  
  Resenhas (129)  

 
 
Enquanto o Coração de...
Douglas Renato Palmeira
R$ 58,00
(A Vista)



O pássaro Refletól
Lucas Borba
R$ 38,50
(A Vista)






   > Aquém do horizonte



Amarilia Teixeira Couto
      POESIAS

Aquém do horizonte

Aquém do horizonte
Vem de muito longe
o meu encantamento
pelas montanhas.
Herança de minha mãe
que me legou,
além de boa parte
do que sou,
essa perscrutação silenciosa
em busca do sentido da vida.

Assim passei a amar
as montanhas,
a perceber sua alternância
de cores e tamanhos,
sua sinuosidade
nos caminhos,
seus mistérios
tão guardados.

Sou da terra
das Alterosas,
dos vales circundados
de pedras
pelas mãos dos escravos.
Daí essa mineiridadade
tecida a mãos múltiplas
e polimórficas.

É. Não sou litorânea!
O mar é imenso,
aberto e volúvel,
embora sedutor e belo.
Venho de outra esfera,
do ali que nunca chega,
do comboio que se arrasta,
do trem que não tem pressa.
É dessa ausência de mar,
dessa geografia irregular
que vem meu pensamento,
sabiamente imperfeito.

Ah, essas montanhas,
volteando toda a gente,
como férrea proteção.
Acho que é por isso
essa sede de abraço,
essa vontade de se aninhar
e buscar constantemente
um dedo de prosa.

Sou da terra dos suspiros,
dos ais em tons dolentes,
musicais.
sou das Gerais!



CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui