Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (641)  
  Contos (940)  
  Crônicas (724)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (207)  
  Pensamentos (651)  
  Poesias (2525)  
  Resenhas (129)  

 
 
Abstrato-01-599
Airo Zamoner
R$ 104,00
(A Vista)



R$ 18,90
(A Vista)
INDISPONÍVEL




   > Que novo homem é esse?



Amarilia Teixeira Couto
      ARTIGOS

Que novo homem é esse?


Postei um artigo recentemente falando do comportamento mais agressivo das mulheres em relação ao seu corpo e a maneira pouco feminina adotada por muitas diante dos desafios da vida.Fiquei de expressar o meu pensamento também em relação ao homem e às mudanças pelas quais passou na última década.Seguem minhas considerações a respeito do tema.

Ah, os homens! Quantas vezes nos debulhamos em lágrimas por um deles! Quantas noites mal-dormidas, quantos rumos desviados no sentido de encontrar aquele que nos satisfaz o desejo físico, o que nos acalma o corpo e nos sossega o coração Que mulher nunca se consumiu em “quereres”, em sonhos, em desespero mesmo pela saudade de seu homem? Que atire a primeira, a segunda...a décima pedra.É fato. Como toda a extensão do corpo e da alma também (pois sempre queremos “tudo” deles) nos faz bem, nos confere sabor( e dor) à vida.
Mas atualmente vivemos uma época no mínimo interessante em relação aos homens.Vira e mexe ouvimos das mulheres que eles estão em extinção.Que em algumas cidades (como BH, onde moro) existe uma proporção de 10 fêmeas para cada macho da espécie humana, o que dificulta, e muito, a vida das jovens sonhadoras, casadoiras e daquelas que tão somente querem encontrar um affair, um companheiro, alguém pra chamar de seu, mesmo com prazo de validade pré-estabelecido.É, pois as relações andam meio superficiais, não é? Ou não é bem assim?
Tirando essas constatações óbvias e verdadeiras, sinto que há algo de positivo, de novo no comportamento masculino que mostra que nem tudo está perdido, muito pelo contrário.O homem moderno vem se tornando mais sensível, mais exigente, mais “in”.São muitos os que , numa separação, “brigam” pela guarda dos filhos, coisa inimaginável décadas atrás.São muitos que assumem as tarefas domésticas ,se a mulher tem uma jornada de trabalho mais compensatória financeiramente fora de casa.E melhor ainda: O homem de hoje fala de culinária, de flores, de literatura, de artes em geral não apenas com os outros, mas com sua companheira, que também não mais precisa fazer de conta que não é inteligente.Parece pouco? Acho que não.Quantos anos foram necessários para que esse novo homem surgisse? Então ,o que percebo é que não está faltando homem no mercado.É que a mulher precisa também exercitar um novo olhar.Se ela não exorcizar aquele modelo antigo de caçador ,que arrastava a fêmea pelos cabelos , que a escolhia pelo cheiro e a levava para a caverna, a sua sozinhez não será resolvida.Eles continuam caçadores (felizmente), mas com estratégias requintadas, ressignificadas, depuradas depois de muitas frustrações em relação a nós.Eles também reclamam e muito da gente, não é mesmo? Também eles foram vítimas de tanto descompasso feminino.
Particularmente gosto desse novo homem.Aprecio e muito essas características apropriadas legitimamente do nosso universo .Nada mais excitante do que se perder num olhar repleto de desejo, sentindo mãos másculas e ternas a um só tempo.Nada mais sensual do que uma cumplicidade regada à doçura de quem não esconde suas emoções.
E que desafio se torna agora atualíssimo? Que homens e mulheres se descubram e se assumam como aliados e companheiros leais nessa evolução, enquanto seres sexuais,sociais e humanos.

 



CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui