Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (641)  
  Contos (940)  
  Crônicas (724)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (217)  
  Pensamentos (651)  
  Poesias (2528)  
  Resenhas (129)  

 
 
45 dias e noites
Nadia Rockenback
R$ 30,00
(A Vista)



Arquitetura-03-418
Airo Zamoner
R$ 104,00
(A Vista)






   > TODOS INDEFINIDOS



Luiz C. Lessa Alves
      POESIAS

TODOS INDEFINIDOS

TODOS INDEFINIDOS
 
Há quem abrigue os sem-tetos,
Tem quem proteja os desvalidos;
Alguns dão de comer a quem tem fome,
Alguém cuida das cicatrizes.
 
Qualquer um ensina a andar,
Muitos indicam caminhos; 
Todos dizem como amar,
Ninguém fala em inimigo.
 
***************************
 
Há mais ao relento do que abrigado,
Tem mais miserável do que rico;
Alguns gordos, muitos desnutridos,
Alguém ileso, outros feridos.
 
Qualquer um fica parado,
Muitos pastores perdidos;
Todos do amor nada sabem,
Ninguém, na verdade, é amigo.
 
***************************
***************************
 
E assim seguem sem rumo,
Ambos alheios e sombrios;  
Somente uns poucos reconhecem  
O mundo hipócrita em que vive.
 


CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui