Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (641)  
  Contos (940)  
  Crônicas (724)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (207)  
  Pensamentos (651)  
  Poesias (2525)  
  Resenhas (129)  

 
 
Dança de Salão, a...
Maristela Zamoner
R$ 36,60
(A Vista)



Paisagens-03-054
Airo Zamoner
R$ 104,00
(A Vista)






   > O Sexo e a Noite: Fingir ou ficar sozinho ?



Ramon Bernardo Da silva
      ARTIGOS

O Sexo e a Noite: Fingir ou ficar sozinho ?

 Analisando os relacionamentos a minha volta , percebo que muitos tem fingido .Fingir um relacionamento é uma forma de ao menos escapar da solidão.De fato é uma escolha difícil : Solidão ou fingir ?
    Os jovens ainda nem chegaram aos seus vinte anos e já estão preocupados, na solidão dos anos que lhe esperam. Ninguém quer chegar aos  trinta e cinco anos sozinho.Será a solidão o mal do século XXI ?
    Em um relacionamento, sempre há quem finja. A mulher finge aceitar algumas coisas, e o homem finge entender a mulher. Tudo está ligado a uma sincronia unicamente voltada a um objetivo : Não ficar sozinho . A solidão amedronta e conseqüentemente , forçamos qualquer situação , desde que não fiquemos tão vulneráveis a solidão . A solidão é uma causa de fingir .
              Fingir que gostamos da mesma música , que andamos com as expectativas conectadas, e assim vai .Tudo gira em torno de um único medo : ficar só .O extremo é quando nos pegamos dando desculpas a erros que no fundo nem são nossos , só pra não ter o motivo de reconhece que aquele relacionamento não funciona. Acaba sendo melhor ter um relacionamento torto , do que não ter nenhum .
               Mais no fim nos esquecemos do essencial. Pra um relacionamento ser ao menos capaz de trazer momentos de felicidade , ele precisa existir , ser real.Pode tudo está sincronizado e ocorrer no tempo certo pra parecer que esta tudo bem , mais na integra , você que se conhece bem , sabe a verdade .


CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui