Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (641)  
  Contos (940)  
  Crônicas (724)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (217)  
  Pensamentos (651)  
  Poesias (2528)  
  Resenhas (129)  

 
 
Provérbios de AKEL no...
Adryan Krysnamurt Edin...
R$ 40,00
(A Vista)
INDISPONÍVEL

Preto no Branco - Verso...
Levi Beltrão
R$ 44,50
(A Vista)






   > PROFESSORA E ALUNO



Luiz C. Lessa Alves
      CONTOS

PROFESSORA E ALUNO

PROFESSORA E ALUNO
 
- Olá, filhão! Como foi hoje na escola?
- Muito chato, pai. A professora chegou na escola chorando.
- O que aconteceu?
- Ela estava esperando o ônibus quando um ex-aluno parou ao lado dela e riu...
- Só por isso ela chegou à escola chorando?
- Ele estava num carro importado, pai!...
- E daí? Só por que professor não pode ter carro...?
- Não, pai! Foi porque ele riu dela!
- Riu dela! Como assim?
- Ele perguntou se ela ainda se lembrava dele, ela respondeu que sim...
- E daí!
- Daí ele falou: “Você não disse que quem não estuda não consegue nada na vida!”...
- Ah, sim! E o que ela respondeu pra ele?
- Nada. Ele mesmo é quem respondeu.
- O quê?
- “O olhe só! Você aí, em pé, esperando ônibus, e eu aqui sentado numa carreta...!”.
- Meu Deus! Que cafajeste! É alguém conhecido no bairro?
- No Brasil, pai! Você mesmo sempre disse que ele era desprezível, egocêntrico.
- Diga logo quem é o “cara”! São tantos os canalhas, assim, e bem-sucedidos...
- Foi aquela mesma pessoa que, numa discussão com um jogador, disse...
- Já sei: Que o salário do colega não pagava nem a sua chuteira? 
- Esse mesmo! E que só sabe contar até cem. A partir daí, pra ele, vêm as centenas.
- Ele nunca aprendeu que depois de cem vem cento e um... e não duzentos, trezentos...
- E dizem, ainda, que nem assim ele passa de mil!
- Isso prova minha tese: a mídia quando não cria, propaga o mau-caráter.
- Tem razão, pai.
- Filho, cafajeste assim existe por aí às carretas! Com a mídia a proliferar.
- Ainda dizem que Deus não dá asas a cobra!
- Ele não, filho; somos nós mesmos, que põe veneno em boca de quem só sabe morder!
 
Conto do livro Pequenas Histórias Pedaços de Vidas - Editora Protexto


CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui