Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (651)  
  Contos (939)  
  Crônicas (730)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (204)  
  Pensamentos (640)  
  Poesias (2501)  
  Resenhas (129)  

 
 
O Recomeço
Paulo Ademir de Souza
R$ 104,30
(A Vista)



Estátuas-02-161
Airo Zamoner
R$ 104,00
(A Vista)






   > Mãe... nhe! Engoliram o papai!!



Isis Berlinck Renault
      INFANTIL

Mãe... nhe!
Engoliram o papai!!



– Com Deus me deito, com Deus me levanto...
“Eu SEI que é ele que está lá... Fica lá, só me olhando...”
– Com a graça de Deus e do Divino Espírito Santo.
“ Por que ele num vai embora?...”
– Ave Maria cheia de graça...
“Mamãe não tinha nada de mudar pra essa casa cheia de fantasmas... João fica dizendo que eu sou medroso, que fantasma não existe... Não existe uma ova... E aquele alí?”
– O Senhor é convosco...
“Como é que na outra casa eu não via nada? Essa casa é mal-assombrada, sim senhor... Ai, meu Deus, olha ele lá outra vez... Me olhando com aqueles olhos sem cara...”
– Rogai por nós pecadores...
“Vou tampar o rosto...”
– Agora e na hora...
“Tou escutando uns passos... É ele que vem vindo... Me proteja, meu Anjo da Guarda... Ele tá chegando, eu tô sentindo... Sentou na minha cama! ”
– SOCORRO!!!
– Carlos!
– Pai, é você?
– Sou, meu filho.Quê que aconteceu?
– Puxa vida, pai! Que susto. Por que não acendeu a luz?
– Pra quê? Não está tão escuro... Eu estou enxergando. Por que você cobriu a cabeça? E por que gritou?
– Tô com medo...
– Medo de quê, filho?
– Do fantasma.
– Mas fantasma não existe, Carlos! Não tem fantasma nenhum...
– Tem sim, pai. Olha ali no canto. Num tá vendo? Todo de preto, com chapéu tampando a cara...
– Ah! Já vi. Eu vou lá.
– VAI LÁ?! Não tem medo, não?
– Não.
– Vai não, pai, por favor...
“ELE FOI... Num devia de ir... Por favor, pai... Num chega perto não... ELE CHEGOU! Ai, Meu Deus, o fantasma agarrou a cabeça dele... A cabeça sumiu!... Abriu os braços, vai pegar meu pai... PEGOU!... Meu pai sumiu... ELE COMEU MEU PAI! Ai, meu Deus, ele tá vindo pra cá... Vai me engolir também...”
– MÃE... NHE... !!!
– Carlos, tira a coberta da cabeça, meu filho. Olha, já acendi a luz.
– PAI??? !!! O fantasma não te comeu?
– Que fantasma, filho?
– Que tava ali... Eu VI! Quê que aconteceu?
– Nada, filho. Eu só coloquei meu chapéu e vesti meu casaco que estavam pendurados naquele cabide de pé, ali no canto.


CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui