Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (641)  
  Contos (940)  
  Crônicas (724)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (207)  
  Pensamentos (651)  
  Poesias (2525)  
  Resenhas (129)  

 
 
O testamento vital no...
Isabela Maria Marques...
R$ 30,80
(A Vista)



DUBLE - A um passo em...
Guilherme Augusto...
R$ 49,60
(A Vista)






   > Como se deusa fosse



Jorge Cortás Sader Filho
      CRôNICAS

Como se deusa fosse


 
            Acontece.  E como muitos não imaginam, é muito mais comum do que pensamos.
            Mulheres são como deusas.  Boas e más, como as do Olimpo.
            Tinha dezessete anos, apaixonou-se por um fauno que idade não tinha, era um dos habitantes da colina.  Caso quisesse, irresistível, a quase divindade.
            Conquistou a já apaixonada, mostrando que ela não se tinha iludido.
            Levou-a ao altar dos deuses.  Delicado, tratou-a como se deusa fosse.  Ela suspirou muitas vezes de prazer.  Como poderia imaginar que o jovem que tanto admirava e queria, fosse seu?
            Quem se une a um desses, transforma-se também.  Linda, toda doirada, a paixão foi fulminante.
            Mas aparece outro fauno.  Não propensa à traição, ela fala com seu apaixonado.  Conta tudo.
            E ele, sabendo não poder ficar ligado a simples mortal, cala.
            Ela, embora com aspecto de deusa, não era mais do que uma simples mortal.  Sua beleza, infinita beleza, não a levava aos montes sagrados.
            Desapareceu no mundo dos que a Vida leva.
            Ele?  Continua mistério.


CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui