Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (641)  
  Contos (940)  
  Crônicas (724)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (207)  
  Pensamentos (651)  
  Poesias (2525)  
  Resenhas (129)  

 
 
Veículos-01-009
Airo Zamoner
R$ 104,00
(A Vista)



A leitura é...
Maristela Zamoner
R$ 31,20
(A Vista)






   > Mentira



Heloisa Pereira de Paula dos Reis
      CRôNICAS

Mentira

 

                                        A MENTIRA

 

A mentira começa como que não querendo nada. E num crescendo, vai fazendo de quem a diz, alguém preso para sempre em suas armadilhas, alguém que não pode nunca, nunca abaixar a guarda. O descuido é seu inimigo mortal. Ela começa pequena e se aceita, vai passando por muitas fases, até que dela não se tenha mais o controle. De controlada passa à controladora. Domina pensamentos, posturas e atos. Direciona olhares, gestos, tons de voz e assim dá-se a conhecer. E só o outro a percebe.  Quem a diz pensa a todos enganar e com o tempo passa a enganar-se, tendo certeza de dizer a verdade mais pura, mesmo não sendo verdade o que pensa saber. E assim segue o seu caminho, sem poder voltar atrás de tantas palavras “mal ditas”, que dele fizeram um enganador de si mesmo. Boicota-se, sem ir a lugar nenhum.

O mentiroso menospreza aquele a quem dirige sua palavra, tenta subestimar a inteligência do outro, mas escorrega sempre em seus gestuais tão claros, para quem tem sensibilidade para entendê-los. E são tantos que a têm.

Uma mentira leva a outras dez e para mantê-las, precisa-se, para cada uma, de mais dez... E assim a bola de neve por elas formada, aumenta de tal forma, que se torna impossível voltar atrás para saber como tudo começou e o porquê.

E aí... A vida passa a ser de eterna vigilância, de insegurança ao menor sinal. E a tranquilidade... A tranquilidade passa ao longe, a perder de vista.

“Por isso, abandonai a mentira e falai a verdade cada um ao seu próximo, porque somos membros uns dos outros.” Ef. 4,25

 

Heloisa/2010

 

 

 

 

 



CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui