Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (641)  
  Contos (940)  
  Crônicas (724)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (217)  
  Pensamentos (651)  
  Poesias (2528)  
  Resenhas (129)  

 
 
Arquitetura-01-263
Airo Zamoner
R$ 104,00
(A Vista)



Memórias do Velho...
Heráclito Júlio...
R$ 37,70
(A Vista)






   > Introspectiva



Fernanda Guimarães
      POESIAS

Introspectiva

E tão inutilmente desdobra-se a memória
Buscando refúgio no favo dos sonhos
Tingem-se os olhos, inventando cores
Dom de inocência, como se o tempo
Não fosse sempre um aceno
Um descruzar de instantes
Efemeridade do que se presume eternidade

E vem do vento o súbito silêncio
Quando as mãos repletas de vazios
Ensaiam vôos num horizonte imaginário
Como se pudessem ainda colher
O último canto entoado pela vida
Ou a crença que se ampara no trapézio
Em que se lança a súplice esperança


CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui