Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto

Cãimbra do escrivão, a deficiência, o deficiente e a felicidade.

Como portadora da cãimbra do escrivão, entendo que, a partir do momento que compreendemos, mesmo que em linhas gerais, a natureza biológica do problema e a condição em que a Ciência se encontra diante dele, podemos nos posicionar com atitudes e pensamentos para descobrir formas de sermos felizes, o que, acredito, deveria ser o objetivo principal de cada ser humano. Para sermos felizes, precisamos ser produtivos, fazendo parte da sociedade de maneira contributiva. Li muitos trabalhos científicos até entender bem o que é esta condição e as escolhas que temos diante dela. Talvez por ser bióloga, percebi logo, um ano antes do meu diagnóstico, em meados de 2001, que não era um problema ortopédico. Fui direto a um neurologista, que me encaminhou para outro e para outro... (leia mais)

Maristela Zamoner




O MERGULHO

Aquele brusco tremor o impulsionou violentamente para trás. Já sentira isso há muito tempo, quando inadvertidamente, colocara o dedo no bocal de uma lâmpada. Experiência assustadora! Alguma coisa entrara subitamente em seu corpo. Ao mesmo tempo em que, num ato reflexo, puxara a mão de volta, sentira uma contraditória atração. Queria levar outro choque! Quantas vezes, ao ver um bocal sem lâmpada, sentira novamente aquela estranha tentação. Sempre resistiu bravamente. Agora, contudo, num misto de sofrimento e prazer, toda aquela sensação se repetia e nada tinha a ver com o choque elétrico! Letras. Palavras. Livros. Depois que dominara as letras, passara a admirar as palavras. Ficava horas, olhando e pensando nelas. Letras sem sentido adquiriam uma espécie de vida... (leia mais)

Airo Zamoner




Default



   > Livino Virginio Pinheiro Junior

  AUTOR  
 
Livino Virginio Pinheiro Junior

Livino Virgínio Pinheiro Júnior, nasceu em Fortaleza-Ceará no dia 07 de setembro de 1946. É médico formado pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Ceará e desde a sua formatura em 1973 teve a seguinte trajetória: dois anos de residência médica e logo a seguir foi seduzido pela carreira universitária. Fez concurso para o Departamento de Patologia e Medicina Legal(DPML), visto que nos três últimos anos como acadêmico foi monitor das disciplinas ofertadas pelo DPML, que proporcionava um campo fértil para aqueles que tinham vocação e desejavam seguir a carreira universitária. Dedicou-se com afíncuo a carreira e foi galgando seus degraus: Prof. Auxiliar I, II, III e IV; Prof. Assistente I, II, III e IV; Prof. Adjunto I, II, III e IV.

Seu regime de trabalho era de 40 horas semanais distribuídas entre ensino, pesquisa e extensão (ler lâminas de biópsias originárias do Hospital Universitário, Maternidade Escola e do Instituto do Câncer do Ceará, bem como realização de necrópsias dos referidos hospitais.

Além destas atividades foi eleito por duas vezes Chefe do DPML, tendo que se preocupar também com a administração.

No ano de 2013 aposentou-se e ficou deliciado com o tempo que passou a dispor para ler livros e revistas científicas, bem como livros alheios à área médica, como os escritos por Robin Cook, Tesse Gerritsen, Pedro Nava, Sidney Sheldon, L. James, etc... Com o tempo que lhe sobrava, escreveu seu primeiro livro (título: Na mesma moeda) de pequena tiragem e presenteados aos amigos. Como retorno recebi muitos incentivos para escrever um outro livro e mandar para uma grande editora. Aceitei com muito medo a missão, mas foi em frente, e aí está a sua segunda obra, "O Rejeitado".