Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto

Vida vazia, vida marota!

Dr. Agildo caminhou vagarosamente até a enorme varanda. Saboreava os momentos do entardecer, um a um, como rotina para receber a noite implacável e então, recolher-se para o descanso. Desta vez, contudo, sentia-se diferente. Seus pensamentos esvoaçavam de um canto para outro da memória, contrariando seus comandos, inquietando seu espírito. Sentou-se na velha cadeira, admirando o extenso jardim. Os canteiros, emoldurando as divisas com suas cores imprevisíveis, tentavam suavizar seus sobressaltos. O ipê majestoso, que ele próprio plantara há tantos incontáveis anos, mantinha-se incólume a seus pensamentos. Parou seus olhos no aparente desordenado trabalho da velha árvore, largando o amarelo de pétalas a se desprenderem a cada instante, formando verdadeira alcativa.... (leia mais)

Airo Zamoner




Cãimbra do escrivão, a deficiência, o deficiente e a felicidade.

Como portadora da cãimbra do escrivão, entendo que, a partir do momento que compreendemos, mesmo que em linhas gerais, a natureza biológica do problema e a condição em que a Ciência se encontra diante dele, podemos nos posicionar com atitudes e pensamentos para descobrir formas de sermos felizes, o que, acredito, deveria ser o objetivo principal de cada ser humano. Para sermos felizes, precisamos ser produtivos, fazendo parte da sociedade de maneira contributiva. Li muitos trabalhos científicos até entender bem o que é esta condição e as escolhas que temos diante dela. Talvez por ser bióloga, percebi logo, um ano antes do meu diagnóstico, em meados de 2001, que não era um problema ortopédico. Fui direto a um neurologista, que me encaminhou para outro e para outro... (leia mais)

Maristela Zamoner




Default



   > Jurcimá da Penha Soares

  AUTOR  
 
Jurcimá da Penha Soares

Nasceu na cidade de Araguapaz-GO, próxima ao Rio Araguaia e cidade de Goiás, em 19 de janeiro de 1973. Desde criança gostava de escrever, inclusive crônicas, contos e fábulas. Aos 17 anos já escrevia sobre política, comportamento e espiritualidade. Tendo sido educado em berço protestante, na maioridade assumiu a fé católica, por encontrar mais espaço para expor suas idéias, uma vez que não conseguiria viver sem a mística de sua fé e crenças.

Desempenhou importantes papéis na política regional como coordenador de campanhas eleitorais. É militante de Direitos Humanos desde 1992 e atua como voluntário em causas sociais, principalmente com marginalizados. Desenvolve palestras sempre partindo do campo espiritual (independente de religião), conduzindo o público a reflexões sobre a própria realidade em que vive, relatando as várias experiências de sua vida, além de contos e outras histórias de coisas da vida.

É Formado em Filosofia e Teologia. Ainda não há nenhum de seus escritos publicados a nível nacional. Leciona Educação Religiosa e Espanhol numa Escola Pública. Num estilo de vida espiritualista tem um senso conciliador e diplomático. As vezes levado pela Utopia, espera que o Mundo seja melhor quando as pessoas forem melhores.