Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto

Mãe... nhe! Engoliram o papai!!

– Com Deus me deito, com Deus me levanto... “Eu SEI que é ele que está lá... Fica lá, só me olhando...” – Com a graça de Deus e do Divino Espírito Santo. “ Por que ele num vai embora?...” – Ave Maria cheia de graça... “Mamãe não tinha nada de mudar pra essa casa cheia de fantasmas... João fica dizendo que eu sou medroso, que fantasma não existe... Não existe uma ova... E aquele alí?” – O Senhor é convosco... “Como é que na outra casa eu não via nada? Essa casa é mal-assombrada, sim senhor... Ai, meu Deus, olha ele lá outra vez... Me olhando com aqueles olhos sem cara...” – Rogai por nós pecadores... “Vou tampar o rosto...” – Agora e na hora... “Tou escutando uns passos... É ele que... (leia mais)

Isis Berlinck Renault




Anthologie...

Obra: „Anthologie de la Poésie Romantique Brésillienne » - Bilingüe (Port. / Fr.) Poemas escolhidos por Izabel Patriota P. Carneiro, apresentados por Didier Lamaison e prefaciados por Alexei Bueno Versão francesa: Adrienne Álvares de Azevedo Macedo, Didier Lamaison e Cécile Tricoire Editoras: UNESCO PUBLISHING / EULINA CARVALHO Formato: 14 x 21cm Páginas: 257 Preço: 27,45 € 2002, ISBN: 92-3-003786-9 Na década consecutiva à da Independência obtida em 1822, chega ao Brasil a revolução das sensibilidades que já soprava sobre a Europa após o início do século. O Romantismo brasileiro aparece com a publicação, em Paris, de “Suspiros Poéticos e Saudades”, de Gonçalves de Magalhães, em 1836. Mas é com Gonçalves Dias que nasce verdadeiramente a grande poesia... (leia mais)

Tânia Gabrielli-Pohlmann




Default



   > Simone Costa

  AUTOR  
 
Simone Costa

Desde criança tive curiosidade no outro lado da história. No como seria se não tivesse sido…

Sempre quis inventar – ou propor – outros finais, outras soluções, outros caminhos, outros olhares. Acredito que tenha sido ai o meu primeiro encontro com “esta escritora”  que desde sempre esteve aqui.

Percebi, bem mais tarde, que “esse interagir” com a vida, com as pessoas, com os escritores, com personagens – reais ou não, poderia me render prazer. Este foi o meu segundo – e definitivo – encontro comigo mesma. Desde então brinco de escrever com seriedade.

Não pretendo ser decifrada.

Quero apenas ser lida e criticada.

Simone Costa nasceu no Rio de Janeiro em 1966 e há 10 anos escolheu São Paulo para viver.

Atualmente é Editora da Web REVISTA CONTEMPORÂNEA, uma publicação participativa sobre literatura, cultura, artes e entretenimento.